Sou mais o professor!

Postado por Adalberto Moreno em 18 de fevereiro de 2013

Preparando-se para iniciar o ano letivo 2013, nos pegamos pensando nos desafios que movem o nosso contexto, especialmente no que tange ao universo “educação”, a peleja com a família, a comunidade, os estudantes, as exigências que sucumbem o nosso cotidiano, as intempéries costumeiras e junto a tudo isso a crença de que toda fé e verdade é uma forma de vivenciar a caridade. O tema da Campanha da Fraternidade 2013 vem com ânimo para contaminar a nossa juventude, Tema: Fraternidade e Juventude e o Lema é: Eis-me aqui, envia-me! Junto a toda essa novidade Jesus nos faz pensar e crer que “algo bom vai acontecer, algo bom Deus tem para nós”, é o convite para todo o católico, cristão, educador, jovem e pessoa de fé.

Ao longo dos anos, muitos educadores têm dedicado seus estudos a arte de manter-se firme no desafio constante de “educar”, que exige muito mais do que certificados, títulos e experiências, exige dedicação cristã, um encher-se diariamente do espírito santo para conseguir serenidade, sabedoria, fé e confiança na lida que envolve educadores, pais, estudantes, comunidade escolar, comunidade local e opiniões populares que decorrem às aflições alheias. O que se passa em nosso interior é o nosso anseio que se refere ao paradoxo trabalho na arte de educar.

Falando em educação…

Os jovens dispõem de ferramentas, tecnologias e recursos interessantes que nos vemos encurralados por uma perspectiva culturalista, onde os objetivos de avanços são integrados e creditados às TICs, (Tecnologias da Informação e Comunicação) de forma a aperfeiçoar as atividades educacionais. Diante de tudo isso está o professor, desafiado pelas TICs, junto a INTERNET, que não são mais o futuro, como se discutia nas últimas décadas, são necessárias apenas para atenderem as demandas do mundo atual. Acredito que o que vai tornar a aula de um professor mais significativa não é o uso das tecnologias, mas sua atitude e entrega no universo do aluno, no que se refere à aprendizagem, interação, provocação para produzir intervenção e

descobertas. Um computador por si só não torna um aluno pesquisador, o que o torna curioso para lidar com a máquina é o professor. Do mesmo jeito que o livro didático não garante uma boa aula. No entanto, é preciso lembrar que muitas vezes é o livro didático a única ferramenta que alguns alunos dispõem. O que transforma a comunidade estudantil é o compromisso que o professor tem de ensinar e de buscar constantemente o aprender a ensinar. É a atitude política que o professor tem em favor do aluno e da educação. Não vejo supremacia nas tecnologias frente às salas de aula, vejo como uma boa coadjuvante. Valorizo mesmo o professor que com sua arte de ensinar, transforma pessoas, encanta e atrai olhares, suscita sonhos, muda caminhos, cultiva terrenos de todas as espécies por meio de instrumentos, no mínimo, peculiares: a palavra, o amor, o afeto, o respeito, a dedicação e a esperança. Confio de que apesar da escola pública da Rede Estadual pretender adotar a partir de 2015 o livro digital, a figura mais importante na interação com o aluno será o professor.

Desejo a todos os educadores da Rede Pública e Privada um ano letivo abençoado! Marcado pela Palavra do Senhor! Que cada educador possa ser um pouco do que fez Dom Bosco, socorrer e educar a juventude.

Conto com sua opinião! A gente se encontra por aqui.

Abraço!

Paz e luz a todos!

Rosa Maria de Oliveira Medeiros – Pedagoga-Pós graduada em Gestão de Pessoas – Pós Graduada em Coordenação Pedagógica

2 Comentário

  1. PROFESSOR CÍCERO disse:

    OLÁ ROSA! SAUDADES …

    É FATO QUE SER PROFESSOR EXIGE MUITO MAIS QUE UM DIPLOMA E A RECEITA FUNDAMENTAL PARA UMA BOA AULA É O AMOR REGADO COM CONHECIMENTO. NÃO BASTA “RECURSOS” PARA MELHORAR O APRENDIZAGEM É PRECISO MAIS OPORTUNIDADES PARA NOSSOS JOVENS E VALORIZAÇÃO DOS EDUCADORES, POIS DE NORTE A SUL SOMOS VÍTIMAS DO SISTEMA.

  2. Rosa Maria disse:

    Ola Cícero!

    Verdade! Amor e conhecimento formam uma grande parceria!
    Acredito que os recursos são importantes no entanto a intervenção do professor é mesmo o grande diferencial.

    Obrigada pelo acesso e carinho! Boa sorte para você!

    Abraço!
    Rosa Maria


Publicidade