Emitec prepara alunos em Jeremoabo e Cícero Dantas

Postado por Adalberto Moreno em 20 de julho de 2015

No município de Jeremoabo, as aulas são realizadas no Colégio Estadual Luis Eduardo Magalhães

EmitecDedicar-se aos estudos com foco nos resultados. Este é o lema dos 49 alunos do anexo do Colégio Navarro de Brito, que funciona no distrito de Caxias, pertencente ao município de Cícero Dantas, no nordeste da Bahia. Por meio do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (Emitec), desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado, eles recebem, diariamente, nos três turnos, conteúdos das doze disciplinas do ensino médio: português, matemática, inglês, geografia, sociologia, artes, educação física, ciências, química, física, biologia e história.

Aluna do primeiro ano, Tailine Oliveira considera fundamental a chance de não ter que sair do distrito para concluir o segundo grau. “Para mim é muito importante [o ensino à distância], porque moro em uma comunidade da zona rural. Seria impossível me deslocar para a cidade. Tenho certeza que o grau [nível] do ensino daqui é o mesmo que seria com um professor na cidade”, avaliou.

Maicon da Silva, aluno do 3º ano, começou a cogitar a possibilidade de cursar educação física no próximo ano. A vontade surgiu depois que ele assistiu às aulas transmitidas direto dos estúdios do Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. “As aulas do Emitec são muito boas, tanto as teóricas, quanto as práticas [atividades demandadas pelos professores]”.

O diretor da unidade onde funciona o anexo, Everaldo Castro, informou que alguns alunos, inclusive, já concluíram cursos de graduação em universidades da região. “Desta forma [por meio do Emitec], se evita o êxodo rural e que estes alunos tenham que procurar os grandes centros”. Todas as aulas são transmitidas via internet. Porém, as atividades realizadas fora de sala de aula, como as esportivas e culturais, também contam ponto para as avaliações nas disciplinas de educação física e artes.

Segundo a coordenadora do Emitec no Território Nordeste II, Sueli Cardoso, na região, além de Caxias, o Ensino Médio com Intermediação Tecnológica também atende aos estudantes de São João da Fortaleza, com um total de 180 alunos matriculados. “Provavelmente, no início do ano que vem, tenhamos mais uma turma em Caxias, outra turma em São João da Fortaleza, uma em Paripiranga e três em Cipó”. Sueli disse ainda que, no município de Jeremoabo, as aulas são realizadas no Colégio Estadual Luis Eduardo Magalhães, onde estudam 90 alunos do 1º, 2º e 3º ano, todos no período noturno.

Avaliação

Rosângela Batista é uma das professoras mediadoras em Caxias. Ela explicou que, quando os alunos têm dúvidas, as perguntas são enviadas para os estúdios do IAT, instantaneamente, por meio do chat. “A gente digita a pergunta e eles respondem tudo ao vivo”.

Ela destacou que, além das aulas, os estudantes são submetidos a avaliações periódicas. “Temos a atividade dirigida, que vale três pontos. Um ponto para os conteúdos tratados em sala de aula – a explicação, visto, acompanhamento do que fazemos com eles no dia-a-dia, no desenvolvimento das atividades -, e a avaliação em si, que vale seis pontos”.

Preparação em Salvador

Na capital baiana é que são dados os primeiros passos do Ensino Médio Com Intermediação Tecnológica (Emitec). No Instituto Anísio Teixeira, em Salvador, professores da rede estadual preparam as aulas que vão ser transmitidas para todo o estado, via satélite em tempo real, pelos três estúdios de videomonitoramento. Cada aula tem, em média, cinquenta minutos de duração e conta com uma dupla de professores. Enquanto um apresenta o conteúdo em vídeo, o outro educador fica responsável pela interatividade com os alunos por meio de um chat.

“Através do chat nos comunicamos com as pessoas da comunidade, onde os alunos podem tirar dúvidas em tempo real. O professor assistente responde algumas perguntas e filtra as que serão encaminhadas para o professor de vídeo. O assistente dá o suporte durante toda a aula”, explicou Sérgio Costa, professor assistente de química.

O Emitec é uma das ações do Programa Educar para Transformar – um Pacto pela Educação. Desde a implementação, em 2010, mais de 60 mil estudantes já foram beneficiados com o modelo de ensino. Em 2015, o programa atende cerca de 19 mil alunos de 150 municípios e 414 localidades. “Todas as disciplinas são ministradas, desde matemática a inglês. Com essa modalidade não há furos. Não existe aula vaga. O suporte ajuda os estudantes a se prepararem para a vida e para os vários exames que têm no país”, enfatizou o coordenador das Disciplinas Biologia e Física, Márcio Assis.

Mais acesso

Os estudantes que vão prestar o Enem, em outubro deste ano, contam ainda com um reforço especial na fase de preparação. No Portal da Educação, estão disponíveis 75 aulas do Emitec, na página ‘De Olho no Enem’, onde estão hospedados também jogos e mais de três mil conteúdos educacionais digitais. Videoaulas também estão sendo transmitidos pelas TVs Educativa (TVE) e Assembleia.


Publicidade