Ciganos suspeitos de matarem PM em Jeremoabo são presos no Pará

Postado por Adalberto Moreno em 27 de dezembro de 2017

Cinco mandados de prisão temporária foram cumpridos contra eles, que estavam na cidade de Castanhal, escondidos numa kitnet. A 18ª Coorpin acompanhou tudo

Ciganos CapaUma operação das polícias Civil da Bahia e do Pará cumpriu, nesta terça-feira (26), cinco mandados de prisão temporária contra o cigano Gelson da Silva, seus filhos Rogério Matos da Silva e Bruno Jordão Matos da Silva, o irmão Cosme Silva de Jesus e Carlos Daniel Santos Lima. O quinteto é acusado de matar o soldado da PM José Bonfim Lima, no dia 2 de novembro, depois de uma discussão, em Jeremoabo.

De acordo com a delegada Mirela Santana Ventura, responsável pela Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), de Paulo Afonso, o clã de Gelson, calculado em 20 pessoas, saiu da cidade logo depois do crime ocorrer, sem deixar paradeiro. Os mandados de prisão foram expedidos pela Comarca de Jeremoabo.

Com o apoio da Superintendência de Inteligência (SI), da Secretaria da Segurança Pública (SSP), as primeiras informações indicavam que o grupo estaria na cidade de Cascavel, no Ceará. A Polícia Civil do Ceará se integrou às investigações e, quando o cerco para localizá-los se fechava, o grupo, há cerca de 20 dias, rumou para Castanhal, no Pará. Os acusados estavam residindo numa kitnet, no bairro Saudade II.

A delegada disse que, no momento da prisão, os foragidos estavam portando documentos falsificados e que, no local onde se escondiam, foram apreendidos dois revólveres calibre 38 e a quantia de aproximadamente R$ 28 mil. Além de cumprir os mandados, a polícia do Pará autuou os cinco em flagrante por associação criminosa, posse ilegal de arma de fogo e uso de documento falso. Eles agora aguardam transferência para a Bahia.

Da esquerda para direita: COSME, ROGÉRIO, GELSON, BRUNO E CARLOS DANIEL. Foto: Divulgação/PC-BA

Da esquerda para direita: COSME, ROGÉRIO, GELSON, BRUNO E CARLOS DANIEL. Foto: Divulgação/PC-BA

Conforme informaram as autoridades do estado do Pará, os ciganos foram autuados em flagrante por associação criminosa, posse de arma de fogo de calibre permitido, uso de documento falso, sendo apreendido também R$ 27.955,00, além de ter sido dado cumprimento aos mandados de prisão expedidos pelo poder judiciário da comarca de Jeremoabo Bahia, devendo permanecer à disposição da justiça. Foto: Divulgação/PC-BA

Conforme informaram as autoridades do estado do Pará, os ciganos foram autuados em flagrante por associação criminosa, posse de arma de fogo de calibre permitido, uso de documento falso, sendo apreendido também R$ 27.955,00, além de ter sido dado cumprimento aos mandados de prisão expedidos pelo poder judiciário da comarca de Jeremoabo Bahia, devendo permanecer à disposição da justiça. Foto: Divulgação/PC-BA

Fonte: www.pa4.com.br


Publicidade