Adustina: Safra de feijão é a melhor dos últimos 30 anos

Postado por Adalberto Moreno em 19 de setembro de 2013

Além da chuva, a semente de boa qualidade também influenciou na boa safra

Dustina

Máquinas e trabalhadores estão em ritmo intenso de trabalho no campo. Adustina, no nordeste da Bahia, a 356 quilômetros de Salvador, e mais 13 cidades vizinhas formam a maior região produtora de feijão de inverno da Bahia.

Clique AQUI e assista a reportagem do Globo Rural que foi ao ar na manhã desta quarta-feira (18).

foto adustina.net 06

A colheita começou há um mês e ainda vai durar muito tempo. Os campos estão cheios de pés de feijão.

O ano passado, a seca castigou a área. Foi uma longa estiagem, que fez açudes e riachos secarem, mas nos últimos 10 meses a chuva caiu com força e tudo mudou.

José Feitosa é produtor há mais de 50 anos e não esconde a felicidade. Ele vai colher bastante.

foto adustina.net 03

Parte da colheita é manual, mas a maioria do processo é mecanizado. No fim do dia, os tratores partem carregados. A todo momento, caminhões chegam à cidade trazendo mais sacas. A maioria vai para os depósitos.

foto adustina.net 02

A produção é tão grande que uma praça, geralmente usada para grandes shows na cidade, está ocupada pelos produtores rurais. Sem espaço nas propriedades, eles usam o local para fazer a secagem dos grãos.

A praça está tomada, coberta de feijão de ponta a ponta. Os agricultores e funcionários passam o dia movimentando os grãos.

foto adustina.net 05

Além da chuva, a semente de boa qualidade também influenciou na boa safra e antes de chegar ao consumidor final, cerca de 30% da produção passa ainda pelo beneficiamento. Nas máquinas, as impurezas, como pedras e torrões, são removidas. O feijão sai mais puro e ainda mais valorizado no mercado.

foto adustina.net 08

A produção de feijão de Adustina e cidades vizinhas já está influenciando no preço final do produto. A saca que chegou a custar até R$ 150 o ano passado, agora está variando de R$ 50 a R$ 110.

O preço do quilo caiu na região, de quase R$ 9 para, em média, R$ 4. Dependendo da qualidade, ele pode ser encontrado até por R$ 2 e por causa disso, quem produziu vai esperar a melhor hora para vender.

foto adustina.net 07

A previsão é que, até o final da safra, 24 mil toneladas de feijão sejam colhidas na região de Adustina.

Fonte: Reportagem Globo Rural / Fotos: Adustina.Net


Publicidade