Jeremoabo: Distrito de Canché organiza retorno de sua Feira Livre

Postado por Adalberto Moreno em 1 de abril de 2015

O distrito do Canché é assim constituído desde 1933. nunca alcançando sua autonomia

Canche comissao 640x480Por: Pedro Son

O Distrito de Canché, em Jeremoabo, outrora foi um expoente centro produtor e que contava com sua Feira Livre repleta dos mais diversos produtos oriundos da agropecuária e que terminou acabando por falta dos mais diversos apoios. Desde dezembro/2014 foi criada a Comissão de Resgate da Feira Livre que vem se reunindo com moradores do Distrito e da região para encaminhamentos visando a realização da 1ª Feira livre do Povoado, após o retorno, que ficou definido para os Sábados, a começar no dia 11 de Abril (das 06 às 14hs), segundo registro no perfil facebook da Arcas. “Contamos com o apoio e a presença de vocês e das pessoas das Comunidades vizinhas”. Diz José Welton – Membro da Comissão e Vice-presidente da Associação de Canché. Hoje, o Canché é importante produtor de quiabo e de outros produtos. Entendo de muita importância a realização da Feira Livre e apenas coloco alguns questionamentos quanto ao dia escolhido uma vez que coincide com o dia da Feira Livre de Jeremoabo, sede do municipio do qual faz parte o Canché.

 

O CANCHÉ

Há muitos anos que o Canché é distrito. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município de Jeremoabo possuía quatro distritos: Geremoabo, Bebedouro (hoje Cel. João Sá), Canché e Serra Negra (hoje Pedro Alexandre). Destes apenas o Canché nunca foi emancipado. Na verdade, nunca recebeu uma atenção devida e o olhar atencioso das administrações talvez em função da distância (quase 90 km) da sede. Hoje o Distrito utiliza muito mais as políticas públicas do município de Canudos (BA) de onde dista apenas 15 km por estrada asfaltada.

Segundo Hely Lopes Meirelles, em sua obra DIREITO MUNICIPAL, da ed. Malheiros, São Paulo, Distrito é forma de divisão meramente administrativa do Município, por isso mesmo não adquirindo autonomia política (sem representação partidária), jurídica (não demanda ou é demandado em juízo) ou financeira (orçamento próprio, ordenação de despesas).

Os distritos existem muito mais para facilitar a vida dos usuários dos serviços públicos e melhorar, aproximando-os, a qualidade e eficiência na resposta aos pleitos dos munícipes.De acordo com Constituição Federal (art. 30, IV) compete ao Município criar, organizar e suprimir distritos, observada a lei estadual. Segundo a Lei Complementar nº 002 de 04 de maio de 1990 do Estado, são condições para que um território se constitua em Distrito: ter 1.600 habitantes e arrecadação não inferior à quinta parte do Município, dados que dificultam consideravelmente a criação de novos distritos.

Fonte: www.jeremoabo.com.br


Publicidade