O escritor é delegado de polícia no Estado de Sergipe e também é estudioso no assunto cangaço, fazendo parte do maior movimento que há no Brasil, o CARIRI CANGAÇO

Por Adalberto Moreno

O escritor sergipano Archimedes Marques se diz indignado  e enviou comentários ao site Jeremoabo Agora avisando que lançará um livro em contestação ao de Pedro de Morais, Lampião Mata Sete.  “Se o autor Pedro de Morais jogar os livros no rio Sergipe como diz que vai fazer, caso o seu recurso ao Tribunal de Justiça de Sergipe não prospere, certamente vai poluir ainda mais o rio com grande quantidade de excremento, um excremento que nem os peixes hão de gostar, pois o livro dele, além de ser de péssimo gosto, traz no seu bojo somente invencionices sem provas algumas, como se a história fosse feita a seu bel prazer, como se ele fosse o dono da verdade. O livro como um todo é UMA VERDADEIRA ABERRAÇÃO, por isso em nome da história escrevi um livro contestação que em breve será lançado: LAMPIÃO CONTRA O MATA SETE”.

Segundo Archimedes Marques, que é delegado de polícia, o livro  será lançado em breve. “O meu livro de contestação ao livro de Pedro de Morais já se encontra na gráfica e em breve será lançado. Trata-se do primeiro livro que faz oposição dentro do assunto cangaço. Procuro contestar tudo que está errado no livro “Lampião, o Mata Sete”, pois essa obra é eivada de vícios do início ao fim. Todas as alegações do autor são levianas e sem provas por menor que sejam e até mesmo indícios de veracidades alguns, como se a história fosse feita de insinuações vindas do nada, vindas de criatividade do autor, que por sinal, sendo um ex-juiz, deve saber muito bem que o DITO E NÃO PROVADO É O NADA JURÍDICO. Por todas as leviandades desse livro é que ainda se encontra o mesmo proibido pela justiça sergipana, principalmente porque o direito de expressão dele se esbarra no direito da família de Lampião e Maria Bonita. Sou delegado de polícia no Estado de Sergipe e também sou estudioso no assunto cangaço, fazendo parte do maior movimento que há no Brasil, o CARIRI CANGAÇO, evento que reúne anualmente as maiores autoridades nacionais e internacionais sobre o tema e que é realizado na cidade do Crato e região do Cariri cearense adjacente, por tudo isso, e principalmente em nome da VERDADEIRA HISTÓRIA QUE FOI VILIPENDIADA com o livro “Lampião, o Mata Sete” foi que escrevi LAMPIÃO CONTRA O MATA SETE. De uma coisa tenho absoluta certeza: QUEM LER O MEU LIVRO JAMAIS LERÁ O LIVRO DELE, que além de todas as aleivosias existentes ainda tem muita coisa errada, tais como troca de datas, de nomes de pessoas, de fatos, de passagens, enfim o livro do senhor Pedro de Morais é de PÉSSIMO GOSTO EM TODOS OS SENTIDOS, jamais é um livro histórico. Trata-se sim, de um livro FICTÍCIO além de muito mal informativo, pois como dito, foi muito mal pesquisado”.

*

Matérias relacionadas

Poder judiciário: Juiz mantém censura ao livro Lampião Mata Sete

Justiça proíbe lançamento de livro que afirma “Lampião era gay e Maria Bonita, era adúltera”

 



Publicidade