Pelo menos 12 homens montaram guarda na frente da agência e da unidade policial – ambas situadas no Centro de Olindina

OlindinaOs moradores da cidade de Olindina, na microrregião de Ribeira do Pombal, viveram momentos de terror e pânico na madrugada deste sábado (15). Uma quadrilha fortemente armada invadiu a cidade, cercou as casas de policiais locais, a delegacia de Polícia Civil e a sede da Polícia Militar na área.

O grupo explodiu os caixas eletrônicos de uma agência do Banco do Brasil, fez dois moradores reféns, metralhou a fachada da delegacia e uma viatura da Civil que estava no local. A ação, que durou cerca de 30 minutos, começou por volta das 2h de ontem.

Pelo menos 12 homens montaram guarda na frente da agência e da unidade policial – ambas situadas no Centro de Olindina. Outros ficaram cercando a sede da 6ª CIPM e as casas de policiais moradores da região, afirmou um investigador da Polícia Civil.

O policial, que preferiu não se identificar, era a única pessoa dentro da unidade quando o terror começou. “Eles já chegaram gritando, xingando e atirando pra cima e na fachada daqui, para ninguém sair. Nesse momento eu já sabia que eles iam assaltar o banco”, relatou.

A outra agência na cidade, do Bradesco, não foi alvo dos criminosos. “Ela até fica perto, mas tem pouco movimento”, comentou o investigador. O grupo estava fortemente armado, portando pistolas e fuzis, usando coletes à prova de balas e usando máscaras.

Dois rapazes que voltavam para casa de um festa de aniversário de um amigo, em uma motocicleta, foram interceptados pela quadrilha ao passar pelo local. “Eles foram mantidos reféns sob a mira de um fuzil enquanto durou toda a ação”, informou o policial civil.

“Os bandidos foram embora e deixaram os rapazes no local. Mas antes disso, eles também ficaram atirando para cima enquanto estavam no banco”, relembrou. A ação assustou os moradores da cidade, que acordaram com o barulho dos tiros e da gritaria.

A agência foi destruída com o impacto da explosão. Os integrantes do grupo fugiram em carros e motos na direção das cidades de Inhambupe e Alagoinhas. Testemunhas relatam que a quadrilha ainda deixou a cidade atirando. Ninguém ficou ferido.

A quantia roubada durante a ação ainda não foi determinada pela polícia. Após o cerco à sede da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), viaturas da PM realizam buscas pelos criminoso, mas nenhum dos envolvidos foi localizado e preso até às 11h30 deste sábado (15).

Fonte: Correio da Bahia


Publicidade