Jeremoabo: Prefeitura suspende carregamento de carros-pipa no Rio Vermelho

Postado por Adalberto Moreno em 11 de setembro de 2015

???????????????????????????????Por Adalberto Moreno

A Prefeitura de Jeremoabo, no nordeste da Bahia, resolveu suspender o carregamento dos carros-pipas com água do Rio Vermelho. A medida pegou de surpresa vários pipeiros inclusive de outros municípios, que carregam diariamente, na fonte do Bairro Senhor do Bonfim.

De acordo com a secretária municipal de Administração Michelly Varjão, a água do rio já foi avaliada como imprópria para o abastecimento humano. Até então, nos carros da prefeitura ou nos que trabalham para o Exército era utilizada uma pastilha de cloro para tornar a água um pouco mais apropriada para o consumo humano, mas nos outros carros não estava havendo controle. “O município não pode fornecer água captada naquela fonte, sendo que não se sabe a qualidade. Além da questão do calçamento, onde o pessoal do bairro Senhor do Bonfim sofre bastante com os danos causados pelos caminhões-pipa. Há diariamente engarrafamento de carros de Coronel João Sá, Pedro Alexandre e outras cidades, inclusive carros da prefeitura daqui, ficando sem serem carregados, porque a fila estava muito grande”.

Dra. Michelly pontuou que o município, tentando resolver a situação, sobretudo, pela qualidade da água, solicitou um ponto de carregamento á Embasa, que já está funcionando na BR 235, nas imediações do Bairro José Nolasco, próximo à Fazenda Isabela. O ponto fornece água diretamente da adutora, e é água tratada, adequada para o consumo humano.  No entanto, os pipeiros reclamam que no futuro a atividade deles pode se tornar inviável, porque o valor pago pelo Exército e relativamente baixo, mesmo a Prefeitura pagando a metade, quando o projeto for aprovado, o lucro será quase nada.

Segundo a Secretária, o custo do metro cúbico (mil litros) será de R$ 1,80, para os carros sob responsabilidade do município. Para os pipeiros que carregam para comercializar, o custo é de R$ 11,80 por metro cúbico, ou seja, um pipa particular que carrega 10 mil litros de água pagará R$ 118,00. “Como é um serviço essencial a prefeitura vai fazer a sua parte, por enquanto vai arcar com a despesa, mas já enviamos um projeto para Câmara, onde município vai ficar encarregado de pagar 50% do valor dos  pipeiros do Exército, no valor correspondente a água, com base na tabela para a prefeitura. Para o particular, não podemos disponibilizar, no valor da prefeitura, porque é uma mercadoria que ele vende, não seria justo o município pagar por isso. Eles vão ter acesso, mas num valor estipulado pela Embasa. O valor que a Embasa cobra eles só vão repassar para o município, não tem acréscimo”.

A medida já foi comunicada oficialmente ao prefeito do Coronel João Sá, Romualdo Souza Costa, e em breve os demais também serão notificados.

Dra. Michelly informou ainda que, da mesma forma que Jeremoabo solicitou o seu ponto, de acordo com a Embasa, os outros também podem solicitar outro próximo à Lagoa dos Porcos, no município de Pedro Alexandre, onde a água tem a mesma qualidade.


Publicidade