Jeremoabo: um pouco da história da Festa do Mastro

Postado por Adalberto Moreno em 2 de junho de 2015

Uma tradição secular do povo jeremoabense

Mastro 2Mastro 1

Pesquisa: Rosa Maria

A FESTA DO MASTRO
ABERTURA DE NOSSA FESTA MAIOR
I – A ORIGEM
A nossa Paróquia data de 11.04.1718 e, em junho daquele ano, tivemos a primeira Festa dedicada ao Padroeiro São João Batista. Estima-se que a partir de então começou a ocorrer a Festa do Mastro, visto que a tradição mandava acender uma fogueira, acompanhada de um pau representando uma árvore que reproduzia a passagem bíblica, na qual Zacarias anunciava o nascimento de João Batista.
História oral levantada com contribuições de Pedro Pereira da Silva Filho (Pedro Son), Sebastião Gonçalves Passos, Luiz Carlos Hungria (Lula de Zé de Lalau) e Dona Edmeia de Sá Oliveira.
A FESTA DO MASTRO
ABERTURA DE NOSSA FESTA MAIOR
II – O MASTRO
A haste inicialmente não tinha o comprimento e a espessura dos padrões atuais e nem a bandeira tinha as pinturas características de hoje, sendo os primeiros mastros confeccionados em madeira extraída do entorno da Pedra furada e trazida ao Romão (Bairro Sr. do Bomfim) para sua ornamentação, de onde a multidão descia, acompanhando o símbolo e, alegremente puxada ao som de sanfonas, zabumba e tambores.
História oral levantada com contribuições de Pedro Pereira da Silva Filho (Pedro Son), Sebastião Gonçalves Passos, Luiz Carlos Hungria (Lula de Zé de Lalau) e Dona Edmeia de Sá Oliveira.
A FESTA DO MASTRO
ABERTURA DE NOSSA FESTA MAIOR
III – VIVA O MASTRO
Dia 31 de maio era dia de reproduzir a cena do anúncio do Nascimento, com Mastro, fogueira e muitos fogos. Quando o mastro era levantado, sempre na virada do dia 31 de maio para o dia 1º de junho, a cidade ficava em festa, já anunciando que era festa de São João, contagiando toda população. Muita gente vinha de outras cidades para prestigiar. Ora, tamanha festa merecia música e muita alegria!
História oral levantada com contribuições de Pedro Pereira da Silva Filho (Pedro Son), Sebastião Gonçalves Passos, Luiz Carlos Hungria (Lula de Zé de Lalau) e Dona Edmeia de Sá Oliveira.
A FESTA DO MASTRO
ABERTURA DE NOSSA FESTA MAIOR
IV – A FESTA
Em 1894, a Filarmônica 24 de Junho começou a acompanhar o levantamento do mastro na porta da Igreja. Tempos depois, decidiu-se realizar caminhadas na madrugada, com o nome de “Alvoradas”, puxadas inicialmente pela própria Filarmônica e depois com sanfoneiros como Totonho e Gene, arrastando pequenas multidões pelas ruas da cidade.
História oral levantada com contribuições de Pedro Pereira da Silva Filho (Pedro Son), Sebastião Gonçalves Passos, Luiz Carlos Hungria (Lula de Zé de Lalau) e Dona Edmeia de Sá Oliveira.
A FESTA DO MASTRO
ABERTURA DE NOSSA FESTA MAIOR
V – O COLÉGIO MUNICIPAL SÃO JOÃO BATISTA NA FESTA
No dia 15 de junho de 1965 aconteceu a primeira NOVENA patrocinada pelo Colégio Municipal São João Batista, portanto completando 50 anos de participação desta festa de amor e devoção a São João Batista, padroeiro de nossa cidade, a quem vimos rogar graças e proteção! Resgatar a “Festa do Mastro” é trazer de volta a FESTA de abertura de nossa maior festa.
História oral levantada com contribuições de Pedro Pereira da Silva Filho (Pedro Son), Sebastião Gonçalves Passos, Luiz Carlos Hungria (Lula de Zé de Lalau) e Dona Edmeia de Sá Oliveira.

.


Publicidade