A reunião, que acontecerá, às 19:00 horas, no Tribunal do Júri do Fórum Dr. Jonas de Carvalho Gomes, tem como objetivo buscar ações urgentes por parte de todas as Autoridades constituídas, bem assim por parte da sociedade civil organizada.

forum municipalNesta quinta-feira, 09 de maio, o Poder Judiciário se reunirá com representantes dos quatro municípios da Comarca: Jeremoabo, Coronel João Sá, Pedro Alexandre e Sítio do Quinto para discutir sobre o atual quadro de violência na região. O Juiz da Comarca, Dr. Antonio Henrique da Silva, explica que a reunião foi convocada “diante dos crimes de homicídio ocorridos nos últimos 03 (três) anos nas cidades de Pedro Alexandre e Coronel João Sá, sem que se tenha identificado o(s) seu(s) autor(es) até a presente data, bem assim em razão do aumento dos índices de violência nos municípios em referência, inclusive com a ação de grupos armados que têm levado terror aos munícipes, como também às próprias autoridades constituídas, como foi o caso do último fato ocorrido que se tem notícia, do qual teria sido vítima a pessoa do senhor Antonio José de Souza, vice-prefeito da cidade de Pedro Alexandre, no último dia 04 de maio, além da ocorrência do dia 23 de abril com o Sr. Cleciano Vieira Santos, que foi perseguido por aproximadamente 06 (seis) elementos armados em uma caminhonete, enquanto se dirigia à sua propriedade na zona rural do município de Pedro Alexandre, conforme ocorrência policial”.

A reunião, que acontecerá, às 19:00 horas, no Tribunal do Júri do Fórum Dr. Jonas de Carvalho Gomes, tem como objetivo buscar ações urgentes por parte de todas as Autoridades constituídas, bem assim por parte da sociedade civil organizada.

Foram convidados para o evento, os Delegados de Paulo Afonso, Jeremoabo, Pedro Alexandre, Coronel João Sá  e Sítio do Quinto; o Comandante do 20º Batalhão da Polícia Militar, Ten. Cel. JOSEMAR PEREIRA PINTO; o  Comandante da 3ª Cia da Polícia Militar, JOSIVALDO BATISTA GONÇALVES; o Promotor de Justiça LEONARDO CÂNDIDO COSTA; a Presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública, GERLUCE CARVALHO; a Presidente da Subseção da OAB de Paulo Afonso, MARIA ROLIM; o Representante da OAB de Jeremoabo; os Presidentes das Câmaras de Vereadores de dos quatro municípios que integram a Comarca; os prefeitos de Sítio do Quinto, CLEIGIVALDO CARVALHO SANTA ROSA; de Coronel João Sá, José Romualdo Souza Costa; de Jeremoabo, Anabel de Sá Lima Carvalho; de Pedro Alexandre, SALORYLTON DE OLIVEIRA; Comandantes do DPM da região e o Comandante da CIPE – Caatinga, Maj. JOSÉ CARLOS SOARES MARIANO.

4 Comentário

  1. George Luiz disse:

    Não entendi por que meu comentário não foi publicado?

  2. George Luiz disse:

    Está explicado porque os municípios são omissos perante a segurança pública municipal, não sabem como reza nosso esplendido texto Constitucional. A CF/88 diz “Art. 144 – A segurança pública, dever do Estado […]”. ‘Estado’ com letra maiúscula lê-se Estado Democrático de Direito, composto de municípios, estados e união. Os gestores ficam se escondendo atrás de uma velha desculpa de que segurança publica é dever do estado da Bahia por exemplo. Certo dia ouvi o Dr. Antonio Henrique comentando que irá com as multas aplicadas na cidade colocar câmeras para monitorar as vias publicas, o Ministério da Justiça devolve verba para União, por falta de projetos dos municípios para com a segurança publica municipal, os municípios precisam deixar de serem omissos e buscar junto a Senasp, através de convênios verbas para estruturar a segurança publica municipal, para implantar ferramentas de suma importância como câmeras de ultima geração para prevenção de atos criminosos e trabalhar com a prevenção. Devemos saber que o crime que o crime é organizado, então cabe a nós enquanto sociedade nos organizarmos também para tentar dar um basta nesta triste realidade, isso através do nosso poder executivo.
    O município precisa de alguns pré-requisitos para fazer convênios e receber essas verbas, mas são coisas fáceis de resolver, como: Ter uma secretaria especifica, conselho municipal de segurança publica (já existente), ter um GGIM (Gabinete de Gestão Integrada Municipal) que através de uma portaria cria-se o GGIM, a atribuição especifica do GGIM é promover uma maior articulação entre as diferentes forças de segurança Polícia Civil, Militar e Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Secretaria de Segurança Pública e a sociedade em geral. GGIM e conselhos municipais de segurança trabalham juntos, só que o GGIM de forma deliberativa e o conselho de forma consultiva. Nada impossível.
    Até hoje nos perguntamos o porquê da Guarda Municipal de Jeremoabo ter deixado de prestar seus serviços importantes para população Jeremoabense, principalmente aos grupos vulneráveis, aos estudantes, professores e aos demais. Na verdade sabemos que foi algo subjetivo dos cabeças de camarão. A cada dia a palavra democracia vem perdendo seu espaço para o autoritarismo, afinal de contas não sei se certo do que estava falando ou de modo bem sarcástico Hitler dizia que sua “ditadura era democrática”. Estou quase certo de que esse triste desfecho está tornando realidade.
    Cabe a sociedade se articular para cobrar do gestor que busque antes que o pior aconteça, pois o poder emana do povo?… Mas sabemos que a politicagem não deixa. Na hora de cobrarmos nossos direitos precisamos deixar as tendências de lado. Precisamos nos libertar dos grilhões subjetivos e pensar no bem comum. Quando esse país irá acordar?!


Publicidade