Vitória perde para o CSA no Nordestão em jogo marcado por falhas – Jornal Correio

Um começo de jogo desligado e marcado por falhas custou uma derrota do Vitória diante do CSA na tarde deste domingo (5), pela 2ª rodada da Copa do Nordeste. Jogando no estádio Rei Pelé, em Maceió, o rubro-negro foi perdeu para o Azulão por 3×1 e estacionou na 7ª posição do Grupo A com apenas 1 ponto conquistado. Léo Gamalho marcou de cabeça para o Leão, mas antes viu o adversário abrir dois gols de vantagem, um deles com Pará, de pênalti, e com Robinho em cobrança de escanteio. O terceiro do CSA saiu dos pés de Rodriguinho, na segunda etapa.

Com a situação complicada no Baianão, o time de João Burse agora precisará encarar as duas competições sob pressão. O Leão terá dois jogos decisivos contra o Atlético de Alagoinhas e Jacuipense no estadual, valendo a classificação, e na sequência encara Sergipe, ABC e Náutico, que atualmente estão no G4 da competição regional.

Em campo, a postura do time nos 15 minutos iniciais foram bem diferentes do que o torcedor rubro-negro tinha visto no duelo contra o Jacobinense na última quinta-feira (2), pelo Campeonato Baiano, quando vinha de sequência negativa no estadual. Pelo Nordestão, a expectativa era de um time mais concentrado e assertivo, mas o roteiro do jogo mudou com menos de dois minutos de bola rolando, quando o meia do CSA Giovani arrancou pelo lado direito, entrou na área e caiu após disputa com Zeca.

O árbitro Gilberto Rodrigues Castro Júnior apontou a marca da cal e, na cobrança, o lateral Pará deslocou Lucas Arcanjo para abrir o placar da partida. Nos minutos seguintes, o Vitória encontrou dificuldades de criar pelo meio do campo, explorando os lados com Osvaldo e Nicolas Dibble. Mesmo assim, a dupla não conseguiu levar perigo à meta do CSA e era facilmente desarmada pela marcação.

Aos 15 minutos, em escanteio cobrado na primeira trave, Robinho se antecipou a Leo Gomes e cabeceou em cima de Lucas Arcanjo. O goleiro não conseguiu parar a bola e a redonda tocou nele antes de entrar na rede. 2×0 no placar e um começo de jogo em marcha totalmente reduzida por parte do Vitória.

Burse levou ao campo uma equipe com algumas mudanças em relação ao jogo anterior. Na defesa, deslocou Zeca para o lado esquerdo para substituir Vicente, enquanto Railan ocupou a vaga na direita. A dupla teve dificuldades de apoiar o setor de ataque, como já demonstrou em outros jogos. No meio, contou com o retorno de Léo Gomes, que estava suspenso para o jogo do estadual.

No ataque precisou tirar Rafinha, lesionado, e colocou Osvaldo de volta no onze inicial, que fechou o trio com Dibble e Léo Gamalho, também retornando de lesão. E foi do camisa 9 que o Vitória teve as melhores chances durante os 90 minutos, como aconteceu no gol rubeo-negro. Se por baixo o time não inspirava criatividade e agressividade, foi papel de Gamalho devolver o time para o jogo. Gegê cobrou escanteio do lado direito e o centroavante subiu mais alto que Tomás Bastos para colocar a bola nas redes. 2×1.

O primeiro tempo seguiu com poucas chances criadas pelo Vitória e com o CSA dominando o jogo e se mostrando consciente nas investidas ao ataque, principalmente sob o comando do camisa 10 Giovani pelo lado direito e Robinho, na ponta oposta. Na defesa, afastou todas os cruzamentos arriscados pelo rubro-negro. A chance mais clara após o gol saiu de um lance sem querer de Nicolas Dibble, que cruzou e viu a bola tocar o travessão antes de sair.

Segundo tempo de sufoco

A virada de intervalo não foi produtiva para Burse e para o Vitória e o treinador viu seu time ser muito pressionado nos minutos iniciais do segundo tempo. Antes dos cinco minutos o Azulão conseguiu uma sequência de quatro escanteios seguidos na área do Vitória e ali já dava o tom do que seriam os 45 minutos finais.

A pressão se estendeu até os 10 minutos, quando o Leão conseguiu seu primeiro contra-ataque e subiu todo ao ataque. No contragolpe, Robinho recebeu com espaço para arrancar e partiu para cima de Dankler. Mesmo com a cobertura de Camutanga no lance, o zagueiro acabou cometendo a falta e a arbitragem mostrou o segundo amarelo para o jogador na partida. Cartão vermelho para Dankler e o que já estava difícil para o Vitória produzir em campo, ficou ainda pior com um jogador a menos.

O resultado da expulsão veio aos 25 minutos, quando o lateral Everton Silva fez ótima jogada pela direita, com direito a drible da vaca em cima de Zeca, e cruzou rasteiro para a área. Lucas Arcanjo foi na bola mas não encaixou, sobrando para o atacante Rodriguinho empurrar a redonda livre de marcação para o gol.

O Azulão seguiu cozinhando o jogo e levou o placar de 3×1 até o apito final. Com o resultado, a equipe de Maceió ocupa a 1ª colocação do Grupo B, com 4 pontos conquistados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *